Universidade e terceiro setor apoiam monitoramento da Covid em Mato Grosso

No Mato Grosso, no município de Sinop, um projeto de extensão com professores e estudantes universitários da área de saúde foi fundamental para o monitoramento da Covid-19 na cidade, que conta com cerca de 150 mil habitantes. 

A equipe da plataforma CoronaCidades deu suporte técnico para a iniciativa, que possibilitou o monitoramento de milhares de casos confirmados e suspeitos de Covid-19 no município e entorno entre março e outubro de 2020. Agora, os dados coletados ao longo desse período vão subsidiar o planejamento dos serviços de vigilância e assistência em saúde da região na resposta ao coronavírus. 

O projeto foi idealizado por professores dos cursos de enfermagem e medicina do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT-campus Sinop), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde da cidade. Uma central telefônica foi montada dentro da universidade e mais de 30 estudantes e professores dos cursos de saúde se voluntariaram para fazer o atendimento da população.

Foram organizados dois projetos de extensão com foco em duas frentes de atuação. De um lado, um grupo de voluntários entrava em contato, por telefone, com usuários do sistema de saúde suspeitos e/ou confirmados para Covid-19, promovendo o registro e monitoramento da evolução da doença em parceria direta com o Serviço de Vigilância Epidemiológica da cidade. Em outra frente, a população buscava o serviço telefônico espontaneamente para tirar dúvidas sobre sintomas e receber orientações sobre a necessidade de procurar atendimento nos serviços de saúde públicos ou privados. 

Ao todo, foram realizados aproximadamente 6 mil atendimentos de monitoramento e 650 atendimentos de pessoas com dúvidas ou sintomas. Os projetos, que foram reconhecidos com Moções de Aplauso pelo Conselho de Saúde Local, demonstram o potencial da união de poder público, academia e terceiro setor nos esforços para responder ao coronavírus. 

Iniciativa utilizou a telessaúde e dados vão subsidiar resposta à Covid-19

A equipe de voluntários da UFMT – Sinop era majoritariamente formada por professores e estudantes de medicina e enfermagem, que puderam utilizar seu repertório clínico para fazer esses atendimentos, sempre de forma remota. Os voluntários realizavam a triagem dos pacientes que buscavam a central telefônica, avaliando a gravidade das situações para definir as prioridades e orientar a necessidade de busca por serviço médico presencial, direcionando o encaminhamento para os serviços de saúde da cidade.

Para realizar o monitoramento dos casos confirmados no município, os voluntários acessaram as informações geradas nos formulários dos serviços de saúde do município e entravam em contato telefônico com os pacientes suspeitos e/ou confirmados para Covid-19. Além de acompanhar a evolução dos sintomas, os estudantes e professores também orientavam cuidados e medidas de prevenção para evitar a infecção de mais pessoas.

Todos os atendimentos foram registrados. Agora, as informações geradas serão úteis para subsidiar o planejamento dos serviços de vigilância e assistência em saúde de Sinop e região. Os dados coletados durante a prestação do serviço serão importantes para caracterizar os casos de Covid-19 em relação a variáveis sociodemográficas, condições de saúde, tipo de acesso aos serviços de saúde e sinais e sintomas prevalentes no início da infecção e durante o período de seguimento, entre outros. 

Suporte técnico da CoronaCidades apoia gestão de processos

A iniciativa na UFMT Sinop foi coordenada pelas professoras Ana Lucia Sartori, do curso de enfermagem, e Darley Maria Oliveira e Neiva Pereira Paim, do curso de medicina. Quando buscaram o apoio da plataforma CoronaCidades, elas desejavam otimizar o fluxo de atendimento, diante da grande demanda de casos e ligações e do número variável de voluntários disponíveis a cada dia. 

A equipe da CoronaCidades realizou reuniões semanais com as coordenadoras e apoiou na estruturação de um melhor fluxo de atendimento, prevendo o tempo de duração das ligações e projetando a capacidade de atendimento dos voluntários. O apoio incluiu também a criação de uma campanha para angariar mais voluntários para o serviço e o suporte na organização do fluxo de dados e visualização das informações. 

A plataforma CoronaCidades segue apoiando iniciativas do poder público na resposta ao coronavírus. 

Atua na gestão pública e está em busca de apoio técnico para a resposta à Covid? Clique aqui. 

Esse conteúdo foi útil pra você?

Você trabalha no setor público?