Alinhando a comunicação do município para evitar fake news, pânico e pressão

Participantes

Gustavo Azevedo – Prefeitura de Pelotas/RS 
Carlos Cauê – Prefeitura de Aracaju/SE 
Fernando Stern  – Prefeitura de Niterói/ RJ

Vídeo

Realizamos um Webinar com Carlos Cauê, Secretário de Comunicação de Aracaju, Gustavo Azevedo, Secretário de Comunicação de Pelotas, e Fernando Stern, Coordenador de Comunicação da Prefeitura de Niterói para entender como esses municípios estão estruturando suas comunicações para informar a população sobre o coronavírus. Confira algumas sugestões que surgiram dessa conversa e podem ser adotadas por outros municípios. 

Crie uma rotina de atualização das redes sociais da prefeitura

As redes sociais possibilitam a comunicação direta da prefeitura com a população. A atualização constante desses canais com informações relevantes atrai o público e reforça esses espaços como fontes confiáveis de informação. Essa tem sido uma estratégia adotada por todos os participantes do Webinar promovido pelo Coronacidades. 

“Damos todas as informações em primeira mão nas redes sociais da prefeitura, especialmente Facebook. As pessoas já buscam o perfil da prefeitura para tirar dúvidas, saber o que é mentira ou verdade. Chegamos a 1,5 milhão de alcance com nossas publicações”, Fernando Stern.

“Temos utilizado largamente as redes sociais para informativos de conscientização, tiramos dúvidas sobre formas de contágio, explicamos conteúdos de decretos, tudo vai para as nossas redes”, afirma Carlos Cauê. 

O gestor municipal é o principal porta-voz

Promoção de lives no Facebook e a gravação constante de vídeos com os prefeitos estão entre as estratégias utilizadas pelos municípios para reforçar a seriedade das comunicações sobre coronavírus. 

Influenciadores podem ajudar a propagar informações

Perfis com muitos seguidores nas redes sociais da sua região podem ajudar a divulgar informações de conscientização, em vídeos e posts sobre a importância do distanciamento social e hábitos de higiene, por exemplo. A estratégia tem sido utilizada em Aracaju. 

“Buscamos o apoio de influenciadores, chamamos essas pessoas para nos ajudar e tivemos uma adesão grande. Eles gravaram vídeos falando, sobretudo, de recomendações sobre como lavar as mãos e (importância) de se cumprir as restrições da prefeitura”, reforça Carlos Cauê. 

Monitore as redes para antecipar ruídos

O monitoramento das redes sociais, a partir de ferramentas online, possibilita identificar focos de desinformação, como está a repercussão das ações da prefeitura e quais temas geram mais dúvidas. Ao mensurar o impacto de suas comunicações, é possível adaptar linguagem e mudar a rota quando necessário.  

Monitoramento de redes, 24 horas, é fundamental. Quando identificamos que determinado assunto começa a se tornar uma mancha dentro da rede, criamos mini campanhas para esclarecer, conseguimos saber se nossa linguagem está alcançando as pessoas, se está compreensível”, afirma Carlos Cauê. 

Module o tom das comunicações

A preferência entre os participantes do Webinar tem sido pela adoção de um tom sóbrio nas comunicações, que demonstre a seriedade do tema, mas sem gerar pânico na população. Há espaço para uma abordagem mais amena em campanhas de conscientização, mas a percepção é de que o tom das mensagens será modulado de acordo com a evolução da situação no município. 

“A gente ainda usa personagens mais divertidos para chamar a atenção da população. Mas a seriedade sempre prepondera. Não temos óbitos em Pelotas, talvez o tom mude quando isso acontecer. Toda a gestão pública está aprendendo”, afirmou Gustavo Azevedo.

Diversifique os canais para chegar na ponta

Nem todo mundo está nas redes sociais. Carros de som, cartazes e folders ajudam a manter a população informada o tempo inteiro.

“Em Pelotas, fizemos um esforço junto aos postos de saúde, com cartazes e folhetos. Também construímos uma rede de carros de som para transmitir mensagens como a de ficar em casa. Nossos caminhões de coleta de lixo e da guarda municipal também transmitem som e ajudam nessa comunicação. Quando foram fechados pontos de convívio, como praças e parques, colocamos comunicados nesses espaços, reforçando que não deveriam ser utilizados agora”, Gustavo Azevedo.  

WhatsApp e SMS favorecem a divulgação rápida de informações

As prefeituras têm adotado diferentes estratégias, desde lista de transmissão até a contratação de serviços especializados para disparo de comunicações via WhatsApp. O disparo de SMS também possibilita o envio de mensagens curtas e atualizadas sobre o coronavírus. 

“Contratamos um serviço que nos ajuda a gerir uma rede de informações por WhatsApp. Quando as pessoas entram no Facebook ou Instagram da prefeitura são convidadas a estabelecer esse contato por WhatsApp. Quando a prefeita decretou a suspensão das aulas, em meia hora nosso WhatsApp já tinha disparado essa informação para os cadastrados”, explica Gustavo Azevedo, da comunicação de Pelotas. 

Em Aracaju, foi criada uma lista de transmissão para alcançar lideranças de bairros. O disparo de mensagens via WhatsApp é feito pelo número oficial da prefeitura.  “Temos um sistema de alerta de SMS para situação de chuva estamos usando esse alerta do SMS para passar informações sobre o coronavírus”, reforçou Carlos Cauê.  

Boletins diários contribuem para a transparência

A elaboração de boletins diários sobre o cenário, número de casos confirmados e suspeitos, mantém os veículos de mídia informados e evita a propagação de boatos. 

“A prefeitura se tornou o principal veículo de comunicação da cidade. Todos os dias, às 16h, sai boletim com toda a situação: casos suspeitos, o que está em análise e os confirmados, a partir do boletim é feito o disparo para a imprensa e as redes sociais”, conta Gustavo Azevedo.

Manter uma atualização frequente de informação é importante

A todo momento, os municípios tomam novas decisões relacionadas ao combate e prevenção ao coronavírus. Em tempos de fake news, divulgar essas resoluções assim que elas são tomadas evita ruídos de comunicação e combate a desinformação sobre o assunto. 

“Em Aracaju, a Secretaria de Comunicação tem assento no Comitê de Operações Emergenciais. Após cada reunião, temos um ao vivo com as televisões, rádio e imprensa, porque dessas reuniões saem conteúdos para decretos, medidas restritivas, recomendações que vão balizar o combate ao coronavírus”, afirma Carlos Cauê.

Acesse os perfis das prefeituras para ver como elas estão se comunicando nas redes:

https://www.facebook.com/prefeituradepelotas/

https://www.facebook.com/prefaracaju/

https://www.facebook.com/PrefeituraMunicipaldeNiteroi/

Acesse materiais que podem apoiar a comunicação dos municípios.

Esse conteúdo foi útil pra você?

Você trabalha no setor público?