No Rio Grande do Sul, embaixador do Farol Covid apoia prefeitura nas decisões sobre o coronavírus

Com pouco mais de 40 mil habitantes, Santo Antônio da Patrulha é um município localizado no interior do Rio Grande do Sul. Assim como o restante do Brasil, a cidade tem enfrentado o desafio de responder ao coronavírus. Para isso, o município conta com o reforço de um de seus habitantes, o analista de sistemas Fabian Souza, que tornou-se embaixador do Farol Covid na sua comunidade. 

Tudo começou quando Fabian assistiu a um debate da Exame Talks e conheceu o SimulaCovid, um simulador desenvolvido pela plataforma CoronaCidades, que informa em quanto tempo a capacidade instalada de leitos e ventiladores de cada município será completamente preenchida por pacientes com Covid-19. O morador apresentou a novidade aos gestores públicos de sua cidade e, já há alguns meses, as projeções do SimulaCovid vêm ajudando a fundamentar as decisões da prefeitura de Santo Antônio da Patrulha sobre reabertura econômica, entre outras medidas relacionadas ao coronavírus. Recentemente, o SimulaCovid foi integrado ao Farol Covid, uma ferramenta ainda mais completa, que cruza dados de diferentes fontes para alertar gestores públicos sobre o risco de colapso do sistema de saúde que atende o município. 

Dados  e ferramentas apoiam poder público na tomada de decisões 

Quando o analista de dados Fabian de Souza conheceu o SimulaCovid, ainda em abril, sua cidade vivia um momento de grande desentendimento entre setores da sociedade, que discordavam sobre as medidas de restrição ao comércio adotadas pelo prefeito. Atento a isso, e estimulado pela familiaridade com estatística adquirida em sua formação como analista de sistemas, Fabian realizou duas simulações dentro do SimulaCovid para qualificar o debate com evidências: a primeira simulou o cenário caso nenhuma medida de restrição fosse adotada em Santo Antônio da Patrulha. A segunda projetou o que aconteceria caso o município adotasse restrições mais rígidas em poucos dias. Com os resultados em mãos, o analista de dados compartilhou a análise em uma rede social e despertou um forte interesse de vários outros cidadãos.

A repercussão foi tanta que o secretário municipal de saúde, marcado junto ao prefeito na publicação, entrou em contato. Solicitou a Fabian que levasse a análise e apresentasse a ferramenta à equipe do Comitê de Crise, composta por servidores do executivo municipal e representantes de entidades de classe. Após a reunião, ficou acordado que a secretaria de saúde reportaria semanalmente as atualizações dos dados e Fabian, por sua vez, retornaria com análises, no máximo quinzenais, para seguirem monitorando.

Mais recentemente, Fabian realizou outra reunião com o Comitê de Crise, no momento em que o prefeito já havia sinalizado que deveria seguir a tendência de reabertura das atividades econômicas, conforme outros municípios da região. Demandado pela equipe do município, o analista de dados apresentou a Avaliação para Reabertura Econômica de Municípios, mais uma ferramenta desenvolvida pela plataforma CoronaCidades, como elemento para contribuir com essa decisão. A equipe preencheu em conjunto as categorias e, com o resultado, todos puderam observar com mais clareza quais setores deveriam ser priorizados, conforme o risco sanitário.

Embaixadores promovem atualização colaborativa do Farol Covid

Os principais dados que alimentam o Farol Covid, que hospeda o SimulaCovid, são provenientes de bases públicas, mas a plataforma decidiu tornar-se colaborativa para aumentar a precisão das estimativas. Assim, voluntários de todo o Brasil conseguem monitorar a expansão de leitos, ventiladores, casos e mortes confirmadas em tempo real e atualizá-las direto na plataforma, tornando a ferramenta ainda mais condizente à situação atual de cada município, região ou estado. 

Esse é o caso de Fabian Souza em Santo Antônio da Patrulha. Assim como ele, outras dezenas de embaixadores estão contribuindo significativamente com suas comunidades como embaixadores do Farol Covid. Essa experiência mostra como cidadãos fiscalizadores podem contribuir com o poder público, bem como auxiliar na tomada de decisões adequadas que possibilitem a superação da pandemia.

Esse conteúdo foi útil pra você?

Você trabalha no setor público?