CoronaCidades participou ativamente da elaboração do plano de reabertura econômica do Rio Grande do Sul

A equipe do CoronaCidades, representada pelo gestor da Impulso Marco Brancher, teve uma participação fundamental na elaboração do Índice Setorial para Distanciamento Controlado, lançado pelo governo do Rio Grande do Sul no final de abril. O plano foi construído pela Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (SEPLAG) com o objetivo de permitir a retomada gradual de atividades econômicas, a partir de decisões baseadas em dados e evidências.

O governo gaúcho, assim como a maioria das regiões brasileiras, vinha enfrentando o desafio de equilibrar a necessidade de medidas de restrição da circulação e o impacto sofrido pelas atividades econômicas do estado. Para responder a essa demanda, a equipe do Grupo Técnico (GT) de Atividade Econômica, montado para atuar no enfrentamento à crise, decidiu construir um sistema capaz de avaliar o ritmo de evolução do contágio, a capacidade do sistema de saúde e a importância econômica das atividades em cada local. 

“Tínhamos um grande desafio de construir um sistema que contemplasse a complexidade do assunto da forma mais transparente possível para a população e com a urgência que a situação exigia”, ressaltou Marco. Por isso, optaram por simplificar ao máximo os conceitos utilizados, sem abrir mão do rigor científico. A principal referência adotada pelo grupo foi um estudo produzido nos Estados Unidos e adaptado para a realidade brasileira por um trabalho da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da economista da SEPLAG Vanessa Sulzbach, coordenadora do GT.

Após o esforço de definir os parâmetros que seriam adotados, veio o da sistematização. O plano divide o estado em nove regiões e as classifica com bandeiras – amarela, laranja, vermelha e preta – de acordo com o comportamento da pandemia e a ocupação atual do sistema de saúde. A partir dessa classificação, o governo é capaz de atualizar constantemente as regras de funcionamento para cada segmento, considerando também a relevância deles para a região.

Com o plano apresentado, o governador Eduardo Leite se antecipou à discussão nacional e apresentou uma solução inovadora para o dilema. Após o lançamento, a SEPLAG, responsável pela coordenação dos estudos, abriu espaço para contribuições públicas por e-mail para, assim, consolidar a versão final. A partir disso, as decisões passaram a ser tomadas gradualmente por meio dos decretos emitidos pelo governador.


Objetivo:
 

Relatar o trabalho que fizemos no GT de Atividade Econômica do Rio Grande do Sul para construir o plano de reabertura por atividades e regiões.

Formato sugerido:

Desafio: Dilema entre saúde e economia enfrentado por todos os governantes do país. Construir uma alternativa que permitisse tomar decisões com base em evidências.

O que fizemos: Participação na equipe do GT – Marco Brancher – para construir o plano em conjunto com equipe do estado, definindo conceitos e parâmetros, levantando e analisando dados.

Resultado: Plano lançado pelo RS virou referência para outros estados brasileiros e teve grande repercussão.

Esse conteúdo foi útil pra você?

Você trabalha no setor público?